TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO - TDAH

 

 

O TDAH é um transtorno de comportamento que não deve ser confundido com transtorno de aprendizagem. Na verdade a aprendizagem é prejudicada porque quem tem TDAH não consegue controlar seus impulsos, sua agitação física e outras questões, o que o impede de prestar atenção, memorizar e focar em uma coisa de cada vez. Então, aprender se torna muito difícil para esse sujeito e dificulta a vida de todos que estão ao seu redor.

 

Como lidar com isso? Primeiro é preciso procurar os especialistas corretos para avaliação: neurologista, neuropsicólogo, psicopedagogo, neuropsicopedagogo etc. Depois é necessário conversar com a escola para que dicas extremamente importantes possam ser seguidas para ajudar esse aluno a ter melhores resultados na escola e em sua vida pessoal/social.

 

Ahh!!! Sabe por que isso é importante? Porque a pessoa com TDAH acaba causando rebuliço onde quer que esteja, gerando estresse nele mesmo e em quem está por perto. Então é muito importante ter consciência de que ele não faz o que faz simplesmente porque quer, mas porque não consegue fazer diferente: a causa é neurológica e aprender a lidar com isso, ainda mais quando se é criança ou adolescente, requer apoio e compreensão.

 

Assim, nas aulas remotas, focar a atenção numa tela é quase demais para ele. Porém, tentem fazer acordos:

  • sua atenção focada dura bem menos que a de outras pessoas: permita que a cada 15/20 minutos esse aluno dê uma voltinha e retome as atividades. Ele precisa de descarga motora (gastar energia física, mexer-se).
  • fale com calma e exija acordos claros: é preciso repetir, marcar, anotar, usar vários recursos para que ele se situe e saiba onde retomar o que é para fazer. Sua memória é prejudicada porque não foca a atenção em uma coisa de cada vez;
  • o ambiente em que ele estuda precisa ter o menor dos distrações possível: nada de se sentar onde há janelas, portas, som ou televisão por perto. A mosca vai passar e distraí-lo e não vai adiantar chamar sua atenção, pois é mais forte que ele.
  • quem tem TDAH precisa de tempo diferente dos demais: isso é inclusão, é garantir condições dele ficar menos ansioso e completar suas tarefas com mais autoestima. Pense: seria desigual colocar dois campeões da mesma modalidade de atletismo competindo mesmo um sendo paraolímpico e o outro não, certo? O caso retrata quem precisa de tempos diferentes para fazer o que precisa ser feito.

 

Espero que essas dicas preciosas para lidar com pessoas com TDAH tenha trazido várias reflexões.