DEFICIÊNCIA INTELECTUAL - DI

 

 

O QUE É

A Deficiência Intelectual (D.I.) é um transtorno do neurodesenvolvimento que inclui déficits funcionais intelectuais e adaptativos nos domínios conceitual, social e prático com início no período do desenvolvimento.

 

Esses déficits resultam em prejuízos adaptativos fazendo com que o indivíduo não consiga atingir padrões de independência pessoal e responsabilidade social tanto em um ou em mais aspectos de sua vida diária: comunicação, participação social, funcionamento acadêmico ou profissional e também independência pessoal em casa ou na comunidade.

 

Sendo uma condição heterogênea, com múltiplas causas, pode haver dificuldades associadas ao juízo social; à avaliação de riscos; ao autocontrole do comportamento, emoções ou relações interpessoais; à motivação na escola ou nos ambientes de trabalho. Falta de habilidades de comunicação pode predispor a comportamentos disruptivos ou agressivos.

 

Resumindo: segundo a AAIDD - American Association on Intellectual and Developmental Disabilities a pessoa com DI é caracterizada por:

  • ter um funcionamento intelectual significativamente inferior à média;
  • limitações significativas no funcionamento adaptativo em pelo menos duas das seguintes áreas: comunicação, autocuidados, vida doméstica, habilidades sociais/interpessoais, uso de recursos comunitários, autossuficiência, habilidades acadêmicas, trabalho, lazer, saúde e segurança;
  • déficits nas funções cognitivas (memória, percepção, motricidade, funções executivas);
  • possíveis dificuldades na comunicação, no cuidar de si mesmo, em interagir com outras pessoas além da própria família, dependência de alguém para se locomover, cuidar da própria segurança, dificuldades na escola, no trabalho e em  atividades de lazer.

 

PS: os estímulos recebidos farão diferença na gravidade de cada caso em particular, resultando em diferentes resultados apresentados pelos sujeitos

 

 

NÍVEIS DE GRAVIDADE

Diferentemente do que se imagina os níveis de gravidade da Deficiência Intelectual não são definidos por escore de Q.I., mas pelo funcionamento adaptativo do sujeito já que é ele que vai determinar o nível de apoio de que esse sujeito necessita. Isso uma vez que os estímulos recebidos desde a primeira infância fazem a diferença no funcionamento adaptativo desse indivíduo e não apenas seu escore de Q.I.

 

Portanto, dependendo do porquê, os sujeitos com D.I. podem ser classificados:

  • pelo nível de Q.I.
  • pela intensidade de suporte necessário;
  • pelas limitações em comportamentos adaptativos;
  • pela etiologia (causa/origem da doença);
  • pelas categorias de saúde mental.

 

Os níveis de gravidade, segundo o DSM-V são

  • leve
  • moderada
  • grave
  • profunda